Qual o principal objetivo do Manual de Boas Práticas e como foi elaborado?

A Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, com a colaboração dos stakeholders açorianos e da Secretaria Regional da Saúde realizou várias reuniões sectoriais, com o intuito de compilar uma série de medidas necessárias que possam permitir o regresso à normalidade do setor e à recuperação dos contributos económicos e sociais que a atividade turística tem gerado.

Estas medidas visam, igualmente, ajudar a orientar o setor, com a recomendação dos comportamentos mais adequados e indispensáveis à Saúde Pública para a reabertura da atividade turística, tendo sempre como prioridades a reativação da oferta, o domínio do contágio e a recuperação da confiança.

É o esforço conjunto, entre setor público e setor privado, que permitirá ultrapassarmos os efeitos desta pandemia e iniciar a retoma da atividade.

O nosso arquipélago apresenta-se como um destino seguro e diferenciador, cujas boas-práticas no momento atual pós-COVID-19, poderá resultar num ativo de forte importância concorrencial, abrindo janelas de oportunidade para um posicionamento, no xadrez do mapa turístico mundial, baseado na segurança sanitária e na confiança daí resultante, o que será, certamente uma vantagem para a nossa Região, enquanto o próximo destino turístico Clean & Safe.

Como adiro ao selo?

Para efeitos de obtenção do selo “Clean & Safe Açores”, terá de preencher o presente formulário.

Como posso inscrever-me na formação?

A inscrição pode ser feita a qualquer momento.

Quantas pessoas podem inscrever-se por empresa?

Cada empresa ou entidade deverá designar um representante.

Posso aceder ao selo e não frequentar a formação?

Não, a atribuição do selo está dependente da frequência da formação.